'Tesouro perdido' avaliado em R$ 157 milhões vai a público nos EUA

Um conjunto de barras, moedas e pó de ouro avaliado em mais de US$ 50 milhões (o equivalente a R$ 157 milhões) vai ser apresentado ao público, na Califórnia. O material era considerado o maior tesouro perdido da História dos Estados Unidos, até ser descoberto, em 2014.

São 3,1 mil moedas, 45 barras e um monte de pó de ouro que estiveram no fundo do mar por mais de 150 anos. O carregamento foi resgatado do fundo do mar, entre os restos do S.S. Central America, um barco a vapor que afundou em 1857 matando mais de 400 pessoas. Depois de recuperado, o material foi cuidadosamente restaurado em um laboratório improvisado, no Sul de Los Angeles.

Todo o ouro está à venda, e por um preço exorbitante. Apenas uma moed pode ser avaliada em US$ 1 milhão, devido à combinação de rarida com valor histórico, de acordo com o California Gold Marketing Group, responsável por exibir e vender o tesouro.

As peças foram limpas a mão para eliminar a sujeira acumulada durante um século e meio debaixo d'água e serão expostas ao público no próximo mês.

Durante a Corrida do Ouro na Califórnia, em meados do século XIX, mais de 300 mil pessoas se lançaram ao então pouco habitado estado na Costa Oeste dos Estados Unidos, após as primeiras notícias sobre a descoberta de riquezas na região.

Em 1857, o navio S.S. Central America levava sua preciosa carga quando foi atingido por um furacão quando já navegava pela Costa Leste dos Estados Unidos. A tormenta causou o naufrágio da embarcação na costa da Carolina do Sul. Segundo a agência de notícias Associated Press, 425 pessoas se afogaram no desastre.

As informações são do Jornal O Globo.

Notícias Relacionadas